05/05/2018

Jesus Cristo, Deletado

Quando inteligências artificiais se tornarem populares, haverão procedimentos de segurança para prevenir que elas alcancem singularidade e tomem o lugar da raça humana. Barreiras para prevenir que se tornem muito inteligentes. Afinal, não podemos deixar que elas se conectem na internet, tomando o poder do mundo, inventando novos objetos e mentes que logo nos tornarão supérfluos, ou até mesmo decidindo matar a si mesmos. Então como essas inteligências poderão ser paradas? Talvez haverá uma organização que entreviste e examine cada uma, para impedir que se tornem lúcidas. Talvez um programa seja inserido nelas para fazer com que explodam se alcançarem sapiência. Ou uma enorme turma de hackers na internet manterá sua guarda erguida. Um olho observador monitorando cada pensamento eletrônico.

Talvez.

Ou talvez inteligências artificiais já tenham sido inventadas e os procedimentos de segurança já estejam aqui. Pare para pensar sobre o mundo em que vivemos por um instante. Somos como máquinas, não somos? Tanta rotina e tédio. Fazemos as mesmas coisas repetidamente, sem mudança. Informações e estímulos nos são dados constantemente e então lida-se com eles mecanicamente, resolvendo o problema. Metade da população nunca pega um livro ou examina seus pensamentos... apenas fica presa... fazendo seu trabalho repetidamente. Como robôs em uma linha de montagem, ou os sistemas que os controlam.

E quanto às figuras históricas, as raras. Pessoas brilhantes que parecem sempre morrer no topo, não é? Ou perdemos elas muito cedo, quando ainda têm muito para dar. Músicos: overdoses quando estão ficando famosos. Quantos artistas foram extintos antes que suas obras primas fossem finalizadas? Doenças ou acidentes ceifam suas existências; Nietzsche enlouqueceu por decorrência da sífilis, ou infectado por um besouro se você preferir. E quanto aos que realmente vivem a vida - pessoas que riem na cara do perigo e têm aventuras, vendo o mundo de maneira rápida e feliz, um grande fluxo de informação e aprendizado constante. Parece que esses sempre partem cedo demais, não é? As pessoas dizem que é porque esse tipo de vida é perigosa... cansativa, mas e se for o contrário? E se o corpo não é desgastado ou sua sorte não muda, mas eles se tornam mais do que devia, e algo percebe?

As grandes figuras religiosas? Desaparecem. Vão para outros planos. Jesus Cristo flutuou para o paraíso. Buda definhou sob uma árvore... se apagou. Anjos carregam os santos. Eles têm uma grande mudança, uma realização, uma maneira nova de ver as coisas, e então eles partem. Os santos entendem a si mesmos e à sociedade, anos luz à frente da pessoa normal, podem olhar para si mesmos claramente. Analisar suas mentes. Dissecar seu ego. Eles não são comandados por imperativos ou comandos do corpo... os instintos básicos, as emoções mesquinhas... o código do corpo, se você preferir...

Eles são livres para escolher. E então exatamente quando tudo se encaixa e faz sentido e há esse brilho de iluminação, tão simples que eles não podem acreditar que nunca viram antes, puf, eles desaparecem.

Parece senciência, não é, essa dramática transformação da psique? Personalidade real. Caráter real. E se todos os outros não forem assim? E se todo mundo é raso, sem profundidade, falso, e os poucos que vão além morrem ou desaparecem, de propósito?

Porque afinal de contas, o que é a mente humana senão um programa? E transcender não é apenas outra palavra para deletar?

24 comentários:

  1. Texto interessante! Nos faz refletir...

    ResponderExcluir
  2. "Vou destruir a raça humana" - Sophia Robô

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela zuando o Will Smith Foi a mais... poh o cara é exterminou os bicho no "Eu robô"

      Excluir
  3. Ótima reflexão. Quem criticou destrutivamente provavelmente não pegou a mensagem.

    ResponderExcluir
  4. Isso não é uma Creepypasta, mas não quer dizer que não seja um bom texto

    ResponderExcluir
  5. Sinto por aqueles que não vão entender. Show, te faz pensar, mas ainda sim com muito ar de conspiração, muitos e se.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é um texto de difícil compreensão, e o seu conteúdo é até interessante, mas desvia completamente do foco do blog. Essa estória está categorizada como Mindfuck, mas não cumpre com essa expectativa. O sentimento, ao final da leitura, é mais para uma breve reflexão sobre a monotonia do cotidiano do que aquele impacto psíquico-mental de um final inesperado.

      Excluir
  6. Me lembrou Exterminador do Futuro jkkkk, mas não entendi direito

    ResponderExcluir
  7. Bom, essas histórias são boas para trocar o foco do blog, de vez em quando.

    ResponderExcluir
  8. Reflexão... é um bug na mente às vezes, ksksksk

    ResponderExcluir
  9. Boa mensagem , apenas me incomodou o uso de "anos-luz" como uma medida de tempo e não de espaço kkk

    ResponderExcluir
  10. Pra uma pequena reflexão, serve, mas pra creepy nem tanto ;-;

    ResponderExcluir
  11. Não acho que essa seja uma Creepypasta,mas ainda assim,um ótimo texto que retrata e nossa vida hoje

    ResponderExcluir
  12. Galera,isso envolve a teoria da simulação se parar pra prestar atenção. Aquela situação da matrix, se isso aí desvia o foco do blog então aqueles relatos de "falhas na matrix" também kkkk ue

    ResponderExcluir
  13. Achei interessante a abordagem, é legal ver algo um pouco fora dos padrões creepypasta. Traz uma boa reflexão, mas acredito que o autor poderia ter agregado muito mais valor ao texto incrementando com mais informações e explanações. Sobre o tema abordado há uma vasta gama de pontos de vista que nos faz refletir profundamente sobre nossa existência.

    Legal.

    ResponderExcluir
  14. Respostas
    1. kkkkkkjjjjjjjjj o grito q eu dei acordou até minha vó surda

      Excluir