27/08/13

Portal de entrada da mente

Em 1983, um grupo de cientistas religiosos conduziu um experimento extremamente secreto. Os cientistas tinham a teoria de que um humano sem acesso a qualquer um de seus sentidos seria capaz de notar a presença de Deus.
Eles achavam que os cinco sentidos encobriam nossa percepção da eternidade, e que sem eles, um humano poderia ter contato com Deus através do pensamento. Um homem idoso, que dizia não ter nada a perder, foi o único que se apresentou como voluntário. Para que ele não tivesse mais nenhum dos sentidos, uma complexa operação foi feita, onde cada nervo conectado ao cérebro foi rompido. Apesar de ser capaz de se movimentar e de falar, o homem não podia ver, ouvir, sentir odores, cheirar ou ter emoções. Sem qualquer chance de comunicação ou mesmo sem qualquer sensação do mundo exterior, o homem foi deixado sozinho com seus pensamentos.
Os cientistas o monitoravam cada vez que ele falava a respeito de seu estado mental em frases engroladas, arrastadas, frases que ele nem mesmo podia ouvir. Depois de quatro dias, o homem disse que podia ouvir vozes intelegíveis em sua cabeça. Os cientistas acharam que aquilo era algum tipo de psicose, já que o homem nada podia ouvir, e não se importaram muito.
Dois dias depois, o homem chorava e dizia poder ouvir sua falecida esposa falando com ele. Pior: ele podia conversar com ela. Os cientistas ficaram intrigados, porém não se convenceram até o homem começar a falar os nomes de alguns de seus parentes mortos. Ele dizia coisas a respeito deles que apenas pessoas que já se foram poderiam saber. Nesse momento, uma parcela considerável dos cientistas abandonou o experimento.
Depois de uma semana conversando com os mortos em seus pensamentos, a cobaia ficou angustiada, dizendo que as vozes eram esmagadoras. Em cada momento que passava acordado, sua consciência era bombardeada por centenas de vozes que se negavam a deixá-lo sozinho. Frequentemente ele se atirava na parede, tentando sentir dor. Implorou para que os cientistas o sedassem, para que ele pudesse escapar das vozes. A tática funcionou por três dias, até que ele começou a ter pesadelos horríveis. O homem frequentemente dizia que ele podia ver e ouvir os mortos em seus sonhos.
Um dia depois, ele começou a gritar e tentou arrancar seus olhos que sequer funcionavam mais, na esperança de que ele pudesse sentir algo no mundo físico. A cobaia agora dizia que as vozes eram ensurdecedoras e hostis, falavam do inferno e do fim do mundo. De repente, ele se pôs a gritar "Não há paraíso, não há perdão" por cinco horas a fio. Ele implorava para que o matassem, mas os cientistas não o fizeram, achando que ele estava perto de entrar em contato com Deus.
Depois de mais um dia, o homem já não podia mais falar frases que fizessem sentido. Extremamente furioso, ele começou a arrancar, com violentas mordidas, pedaços de seus braços.Os cientistas correram e o amarraram em uma mesa, para que ele não se matasse.  Depois de algumas horas, ele recomeçou a gritar e a se debater. Ele encarou o teto, enquanto lágrimas escorriam pelo seu rosto. Por duas semanas, ele foi reidratado pelos cientistas, pois não parava de chorar. Eventualmente, ele virou a cabeça e, apesar de estar cego, fez contato direto com um dos cientistas pela primeira vez.
Ele sussurrou "Eu falei com Deus, e Ele nos abandonou". Depois disso, seus sinais vitais pararam.
A autópsia foi incapaz de revelar a causa da morte.

22 comentários:

  1. Já li :/ mas não deixa de ser boa

    ResponderExcluir
  2. Já li, não deixa de ser boa. 2'

    ResponderExcluir
  3. Já li. É boa, mas a Irmã Zuleide #desaprova#repreendido!

    ResponderExcluir
  4. se pensar bem,isso não faz sentido,já que se você não tem tato é incapaz de falar ou andar.
    A pessoa sem os cinco sentidos estaria"flutuando"...

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. É ... abandonou mesmo
    Se eu fosse ele e encontrasse a terra nessa situação faria o msm
    Certo ele

    ResponderExcluir
  7. Assim que ele expulsou a gente, ele não nos queria mais, é uma coisa óbvia, e ainda tem gente que quer perdão dele

    ResponderExcluir
  8. a creppy eh boa mas no começo falou q dpois da cirurgia ele n tinha mais sentimentos, mas dpois ele começou a chorar pq viu a esposa dele...

    ResponderExcluir
  9. Hmm... particulamente, eu creio que tal situação só seria possível em um mundo pós apocalíptico.

    ResponderExcluir
  10. Já faz um tempo que eu li essa creepypasta, e acho ela uma das melhores. Mesmo não fazendo sentido algo tão "secreto" sair na web, mas é só uma estória não é msm?

    ResponderExcluir
  11. Não duvido mais de nada, do jeito que a porr@ ta toda louca! Creepy boa.

    ResponderExcluir
  12. Já li há muito muito tempo, nesse mesmo blog mas com título diferente: "caminhos da mente" se nao me engano

    ResponderExcluir
  13. Essa é minha creppy preferida,eu acho que ja foi postada aqui ou no medob,enfim.
    Eu lembro que depois que eu li essa creppy eu rezei para Deus,pois fiquei com medo de isso ser verdade (vocês podem falar que foi idiotice,mas na hora eu acreditei de verdade)
    Muito boa essa creppy.

    ResponderExcluir