28/08/13

Presente maldito


Uma garotinha chamada Penny Warren, ganhou uma boneca dos seus pais. A boneca foi um presente deixado por uma velha tia que morreu. Penny de imediatamente não gostou da boneca que tinha uns estranhos olhos pretos que pareciam estar sempre lhe encarando e um sorriso sinistro no rosto.

Porém, ela teve que aceitar, já que trouxeram a boneca e ela não queria chatear os pais recusando o presente. Seus pais lhe disseram que o nome da boneca era Arabella, o que deixou Penny ainda mais assustada; isso a fazia parecer mais humana. No entanto, era apenas uma boneca, mal alcançava seus joelhos, então para esquecer essa boneca horrenda, ela a escondeu em um pequeno armário embaixo da escada, dentro de algumas caixas onde seus pais não encontrariam.

E ficou tudo tranquilo, até algumas noites depois, quando Penny estava na cama, e ouviu um barulho… o som de algo se debatendo que continuou por uns cinco minutos. Então um rápido som de algo se arrastando e depois o som de passos leves e rápidos. Penny estava paralisada de medo, os nós dos dedos ficando brancos de tanto apertar a cobertor. Então ela ouviu uma voz – suave e terrivelmente infantil – baixa o suficiente para não acordar os seus pais.

Penny sempre dormia com a porta aberta e a lâmpada do corredor acessa, já que ela tinha um pouco de medo do escuro. Dessa forma, ela pôde ouvir melhor com a porta aberta. Ela ouviu a voz dizer “Penny, estou no primeiro degrau”... E então o som de algo correndo outra vez, como se a coisa que estava falando voltasse para o lugar de onde saiu.

A garotinha não dormiu mais aquela noite, apenas ficou deitada, tomada pelo medo até o amanhecer quando sua mãe veio lhe acordar para a escola e ela tentou explicar tudo que havia acontecido, seus pais disseram que “foi apenas um sonho”.

Na noite seguinte, Penny tentou lutar contra o sono, mas infelizmente o sono venceu e ela foi acordada outra vez pela voz sinistra: “Penny, estou no quinto degrau”. Penny chorou muito, e outra vez, ela não dormiu.

Na noite seguinte, Penny decidiu fechar a porta do quarto, e com relutância, dormir com as luzes apagadas. Quando estava quase dormindo, ela ouviu o barulho, e então a voz: “Penny, já estou no topo...” Penny sabia que a porta estava bem fechada, mesmo assim estava com muito medo. Seu coração estava acelerado, e mesmo tremendo ela decidiu dar um basta nisso e espiar pela fechadura da porta; não havia ninguém e isso a deixou mais assustada. Ela correu para a cama, se se enrolou no cobertor, e já estava pensando em esperar outra vez pelo amanhecer quando ouviu um sussurro bem próximo do seu ouvido;

“Penny, já estou aqui”...



Os pais de Penny encontraram seu corpo no pé da escada. Eles acharam que ela estava indo para o banheiro sem acender as luzes e tinha caído, quebrando o pescoço. Arabella, a boneca favorita da família, foi encontrada ao lado do seu corpo – sorrindo.
  


26 comentários:

  1. Se uma tia minha morresse e me deixasse uma boneca como a da Penny acho que os meus pais a queimavam XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tipo.que porra de.pais que da uma boneca dessa pra filha tipo porra os pais delam usam crack

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Acho que a creepy foi feita para a foto, não a foto para a creepy....


    Obs: Apostila da primeira série: "A bola azul é de Raul, a amarela é de Arabela" O.o


    ResponderExcluir
  3. Minha mãe queimava essa boneca se ela n queimasse eu queimava '-
    Creepy clichê mais eu gosti

    ResponderExcluir
  4. Minha mãe queimava essa boneca se ela n queimasse eu queimava '-
    Creepy clichê mais eu gosti

    ResponderExcluir
  5. Minha mãe queimava essa boneca se ela n queimasse eu queimava '-
    Creepy clichê mais eu gosti

    ResponderExcluir
  6. Só eu achei que essa boneça parece ser integrante de uma banda de black metal?

    ResponderExcluir
  7. Oh shit, bonecas, sempre tão simpáticas... 'u'
    Ok, foi clichê, mas achei boa, deu um medinho (provavelmente por eu já ter medo de bonecas), mas foi boa sim. u-u

    ResponderExcluir
  8. Odeio quando uma criança morre numa creepypasta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podi fazê o qui kisé cum as criança tudu, sinhô, mas naum mecha cum os cachorrru nem os cato vlw flw.

      Excluir
  9. Bonecas... tem algo errado com elas.

    ResponderExcluir
  10. Achei bobinha, lembra aqueles contos de terror que a gente conta pras crianças.

    ResponderExcluir
  11. Nota 7/10. Gostei, mas faltou tensão, podería ter maís tensão, ser mais longo, e prender maís. Mas ta OK. Nunca tive medo de bonecas, mas de Quadros e escadas sim.(Apesar de quadros não terem nada a ver com o assunto XD)

    ResponderExcluir
  12. Pqp... eu contava essa creepypasta quando tinha uns 7 anos... e era mais aterradora... kkkkkk
    "Os pais de joãozinho pediram pra ele comprar carne, mas Joaõzinho gastou o dinheiro todo com figurinhas, sem saber o que fazer ele volta pra casa triste, quando passa na frente de um cemiterio e tem uma ideia. Ele procura o tumulo mais fresco e pega a carne. Voltando pra casa ele entrega a carne pra mãe e vai pro quarto:
    -Não vai comer filho?
    -Não mãe, Mariazinha me pagou um lanche - mente por saber de onde veio a carne.
    Ele vai dormir mais cedo enquanto a família saboreia um delicioso guisado.
    Enquanto dorme uma voz acorda ele:
    (coloca voz de terror)-Joãozinho eu tou no portão do cemitériiiiiiiioooooooo~
    Ele se esconde embaixo da coberta:
    -Joãozinho, tou chegando no seu bairrooooo!
    Treme:
    -Joãozinho, tou chegando na sua ruuuuuuuuuuua!!
    -Joãozinho, tou na porta da sua caaaasaaaaa!!
    -Joãozinho, tou subindo as escaaaaadaaaaaaas!!
    -Joãozinhoooooo, (pula no amigo pra quem tá contando) EU TÔ AQUIIIIIIII!!!!"
    Toda noite na rua mais próxima ¬¬
    Tinham outras variações.... a mais escrota era a que Joãozinho, ou Mariazinha, tinha que comprar ovo e levavam o ovo do defunto..... Tinha amigos que passavam hoooooooooooooras descrevendo os pais comendo o defunto.... Mas no fim essa é uma história de Jumpscare... não uma creepypasta.... u.u
    Talvez eu esteja velha demais... mas na minha época essas conversas povoavam as turmas da rua durante a noite enquanto os pais fofocavam nas portas de casa, e não na internet....







    EU TÔ AQUIIIIII!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa, cara. Me lembro quando era criança e ia pra Sorocaba na casa da minha bisavó, quando chegava de noitinha os primos tudo se reuniam e contavam histórias de terror ou jogavam Super Nintendo, doce época kkk

      Excluir
    2. Texuuuunda...
      Cadê a minha buuuunda??

      Excluir