16/09/2017

Destino

O meu destino foi traçado a muito, muito tempo. Escrito. É o que dizem. Prefiro chamar de propósito. Eu não sou nenhuma criatura celestial, fique tranquilo, estou longe disso. Eu pertenço ao outro lado. Os homens me procuraram por muito tempo, em todos os lugares, mas nem eu mesmo sei onde estou agora.

Eu estou aqui, não sei onde, muito menos porquê, mas eu estou preso? É pequeno, apertado e molhado aqui, escuro. Não entendo muito ainda. É estranho. Eu ouço coisas do mundo exterior daqui, não são nenhum pouco claras, são só sons. Mas tem uma que é tão clara que parece estar em minha cabeça. É diferente, ela responde e fala comigo com frequência, sempre diz coisas da qual eu não entendo... eu... eu ouço-a agora...

"Os homens jamais testemunharam tamanho ato, tão belo. Uns ousaram ainda duvidar de ti, estes você matará primeiro. Outros já o conheciam antes mesmo de sua existência, mas enfim você vive. Haverão ainda, durante sua jornada, muitos outros que por sua vez tentaram destrui-lo, e eles não estarão sozinhos. Mas você também não está, não é mesmo? Saúdem-no."

Hmm... Me sinto satisfeito, já era hora.

A voz... ela fala comigo com mais frequência conforme o tempo passa, se é que passou. Não sei. Continua escuro aqui, sinto um limite no recinto, é mole. Ainda não consigo ouvir muito do mundo exterior, só os mesmos barulhos de antes, mas a voz na minha cabeça me diz o que eles fazem as vezes, mas eu não entendo muita coisa. A voz... ela é minha amiga.

Tudo parece bem mais pequeno aqui agora, eu espero sair logo.

"Só mais alguns dias. Nada é demorado se perfeito. Nada é comparado a sua grandeza, saúdem-no."

Já sinto mais pessoas do lado de fora, ouço-nas. Vejo luzes em tom alaranjado bem próximas, não sei o que são, são bonitas. Estou comendo algo agora, com a boca, parece molhado e ouço berros quando mordo, mas não está doendo então vou continuar. Berros, berros e mais berros, interrompidos pela voz agora, presto mais atenção...

"Está prestes a assumir um outro plano, pequeno, algo que eu jamais consegui antes, vê? Se este for feito tu não terás limites, nem ninguém lá poderás contra ti. Ouça, mais tempo lhe será cobrado até a hora, precisas adquirir forma, porém o final disso será algo memorável, mais ainda que sua própria existência, então consideres um descanso. Viva como eles, adote teus costumes, eu sempre estareis contigo, lhe guiando, e quando chegares a hora irás me conhecer pessoalmente."
Foi isso a ultima coisa que ele me disse antes de... antes de... agora.

Eu estou sendo puxado agora, aonde vão me levar? Estou vendo-os melhor agora, o que é isso. Eu não entendo o que está acontecendo eu... eu... estou sozinho no centro, tem algo desenhado no chão e pessoas com capuz à minha volta, eu não entendo. Eu... sai daquela mulher... me ajudem. O que? Eles não me ouvem.

"Recebemos seu filho, como havia nos dito. Cuidaremos e lhe ensinaremos até que a hora chegue, saúdem-no, saúdem-no."

O que? Filho? O que? Tem alguém estranho ali próximo daquela mulher, não se parece com os outros, tem outra forma, tem pelos. Está ao lado do seu corpo sem vida, imóvel e me fitando, o que é? As luzes, olha... as luzes, tão bonitas. Estão me pegando de novo, me levando até aquela coisa... ela... ela me pegou....

"Filho, saúdem-no." - ouço o dizer enquanto me leva até o corpo daquela mulher, sinto o cheiro, eles tiram de dentro dela algo bom. Eu estou comendo agora, é familiar, é... aquilo. Tem tom avermelhado e é mole, molhado, tiram-no inteiro de dentro dela. Eu quero. As luzes se acendem, as velas se apagam.

Estou em outro tempo agora. Entendo o que dizem, entendo o que eu sou, meu propósito. Todos aqui estão comigo, meu pai, bom eu tenho dois pais, a voz na minha cabeça é meu pai, ela ainda está comigo, gosto dele, é meu guia. A coisa com pelos também é meu pai, o chamam de Besta, ele me gerou, ele me trouxe a este mundo, ele não pode ser visto, nunca. Minha mãe, dizem que ela era uma amante do pai da minha mente, que fez o que fez de bom grado. Pela causa. E agora ele diz que ela está com ele, isso é bom. Eu vou parar de falar agora pois a hora está chegando e eu vou finalmente poder conhecer meu pai finalmente, já estão preparando tudo pra sua chegada, estou ansioso. Bom, tchau por hora, mas não se preocupe, eu vou pessoalmente vê-lo em breve, meu pai vai também... por enquanto renuncie seu Deus, rápido.

Autor: Kit


6 comentários:

  1. Eu estava esperando um comentário de alguém perguntando o sentido da creepy e outro respondendo, mas pelo jeito a única coisa que entendi foi que o filho do demônio nasceu
    Alias, lembrei do "porco" de uma creepy antiga...
    2/10

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho uma crítica concreta, apenas odiei o tema

      Excluir
  2. A boa e velha história do filho de Satã, que é gerado no ventre de uma mulher mortal, no intuito de trazer o apocalipse final ao mundo. Mas...contada sob o ponto de vista do feto maligno. Interessante. "Renuncie seu Deus, Rápido" Oras, quer ele dizer que nem o poder do mais alto, será capaz de livrar a humanidade de sua fúria e de de toda calamidade que ele trará sobre o mundo. Outra ideia arraigada e comum, em contos como esse. E finalmente... Achei boa a creppy, aliás, acho todas boas, até as mais fraquinhas, já que não sou escritora, por tanto não tenho qualificação para julgar ou reclamar, pelo contrário, agradeço ao blog por se manter ativo e me proporcionar deliciosos momentos de leitura.

    ResponderExcluir
  3. Não acredito que eu perdi meu tempo lendo essa porcaria. Mal escrito e sem sentido 1/10

    ResponderExcluir