27/06/14

Creepypasta dos Fãs: Mais que um Sonho

Aldrich Richard, um trabalhador rigoroso que vivia no Brooklyn. Era um simples homem que acordava cedo, tomava café e ia trabalhar. Richard trabalhava no setor de limpeza de uma grande empresa comercial, ele sempre se manteve um homem rígido por conta da infância sofrida que teve, mesmo estando na posição que ele estava, se orgulhava do que fazia. Certa noite, Richard se encontrava tendo pesadelos, em seu sonho ele podia ver um homem de braços cruzados, que andava saltitando à cada passo que dava, ele usava um chapéu antigo e seus olhos eram penetrantes, na chuva o homem caminhava até ele, quando Richard pôde finalmente ver o rosto do homem, seu relógio despertou.

Na noite seguinte Richard teve o mesmo sonho, e isso se repetiu constantemente noite após noite, ele chegou até mesmo ir ao psicanalista para entender o que estava acontecendo, o doutor, intrigado com a situação lhe aconselhou à experimentar fazer novas atividades, tentar se socializar e experimentar de novas
coisas. Richard seguiu o conselho do doutor e por longas duas semanas ele pôde se livrar do tal sonho mirabolante, até que, numa segunda-feira ele foi ao trabalho, entrou no prédio, se dirigiu à dispensa e pôs seu uniforme, então Richard foi mandado ao estacionamento por que o homem que cuidava daquela área havia adoecido e então não poderia trabalhar. Richard colocava seu esfregão no pequeno balde até virar-se
para lavar o chão, enquanto esfregava o chão Richard viu que se aproximava de lá um homem que saltitava até um dos carros, o homem entrou no carro, deu partida e se dirigia para a saída, o carro passava ao lado de Richard que observava a janela do carro descer levemente, a silhueta moldada pelo resto de luz que transpassava no carro dava marcas ao rosto do homem que estava no volante, com uma voz grave ele dizia:

“Então... tentou me esquecer Aldrich? Achava que ia ser tão fácil assim?”

O homem soltou uma arrancada e saiu rapidamente do estacionamento. Richard ficou espantado com a cena, ao chegar em casa ele se dirigiu para cama e desmoronou sobre ela, Richard foi atormentado pelo sonho novamente e isto se repetiu pelas noites seguintes. Quando percebeu que aquilo já bastava, ele decidiu finalmente tomar uma decisão, foi então ao doutor que ele havia consultado antes de resolver o problema, ao chegar no consultório o doutor podia ver sua expressão pálida, cansada, com olheiras grandes e suas bochechas magras.

O doutor olhava para ele enquanto Richard dizia: “Eu não aguento mais...” dizia Richard com seus olhos lacrimejando de dor “Não posso mais dormir, sabendo que ele estará lá, sabendo que ele sempre estará lá!” Richard arregalava seus olhos enquanto falava, “Então ele lhe incomoda tanto assim?” dizia o doutor enquanto checava sua prancheta, “Eu posso dar um jeito nisso para você, e desta vez não irá falhar” dizia o doutor sorrindo.

O doutor se levantou da mesa e pegou então seu telefone, ele mandou enviar dois paramédicos para a sala onde eles estavam, os homens chegaram e carregaram Richard para fora da sala enquanto o doutor com um sorriso aterrorizante falava: “Você vai morrer de felicidade”.

Richard foi mandado para um asilo, o dia era chuvoso e os pacientes estavam todos na parte coberta do pátio, ao entrar Richard ficou horrorizado ao saber onde estava e antes que pudesse contestar, algo lhe chamou atenção, ele então observava uma figura familiar que saltitava em sua direção na chuva, a figura então se aproximava dele com os braços atados por uma camisa de força, mas algo que mais assustou Richard naquele momento foi ao ver o rosto do tal homem assustador que lhe disse a seguinte frase:

“Achei que você nunca iria aparecer, sou o seu coleguinha de quarto hehehehhehheeeehhee!!”

Autor: Willams Clark

16 comentários:

  1. No asilo prendem os velhinhos com camisas de força, q maldade Ç-Ç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só acho, assim, só acho, que é um asilo psiquiátrico... (também conhecido como hospício)

      Excluir
  2. Não pude evitar de dar uma risadinha com esse final.

    ResponderExcluir
  3. Esses escritores de CreepyPastas tem q aprender q não é tão fácil assim ser mandado para um hospício/asilo psiquiátrico

    ResponderExcluir
  4. O final estragou totalmente, principalmente essa risada -.-'

    ResponderExcluir
  5. Ai meus olhos ;-;
    Que pouhas foi essa que li? Esses asilos são maldosos com Os velhinhu cara...que dó...
    Ps:eu ri com o final. Hu3hu3hu3

    ResponderExcluir
  6. Que psicanalista de merda! A psicanálise trabalha em cima de descobrir a origem do problema, assim descobrindo a causa e logo em seguida, se possivel, a cura. Que psicanalista em sã consciencia pediria para que o paciente experimentssse novas atividades?

    ResponderExcluir
  7. No começo eu gostei, mas depois cagou tudo uashuashuaausus

    ResponderExcluir
  8. Alguém anda assistindo muito Apenas Um Show

    ResponderExcluir