17/07/14

Creepypasta dos Fãs: De Matheus para o mundo

Estou escrevendo isso por que estou com medo. Eu não sei o que vai acontecer, o que aconteceu, o que eu fiz, mas eu sei que algo está para acontecer. Eu sinto isso no ar da minha casa. Meu nome é Matheus, tenho 13 anos e semana passada, não me lembro exatamente porque, estava procurando por uma foto na pasta de imagens tiradas da minha webcam, então bati os olhos numa miniatura de imagem com um código de identificação um pouco diferente das demais. Era “cl0th3t4k3r.cov”. Eu não entendi aquela miniatura, nem muito menos reconheci a foto que ela representava, então decidi abrir pra ampliar aquilo que via. No instante em que ela se abriu na minha tela, continuou fazendo pouco sentido, mas em poucos segundos vi um chapéu e reconheci a cortina da minha sala de estar, mas o que estava de baixo do chapéu, eu ainda não entendo o que é. Então aquela visão começou a me aterrorizar. Era noite, estava sozinho em casa. Meus pais tinham saído para comer fora já fazia algumas horas. Eu não conseguia fechar aquela janela, nem me mexer. Procurava ver algum contorno familiar naquela sombra, mas o pouco que se via eram traços sinistros e quase esqueléticos. E quanto mais eu encarava a figura e seu chapéu, mais medo eu sentia. Voltei meus olhos para o nome da imagem.

Eu sempre procurei entender as coisas de maneira lógica, então tentei identificar algum padrão naquela sequencia de letras e números. Não demorou até que eu notasse que talvez fosse apenas um nome escrito com números no lugar de letras. Já não era novidade pra mim essa técnica de trocar por exemplo O por 0, E por 3, e A por 4, por exemplo. Decodificando, temos “cloathetaker”, que pode ser separado em duas palavras: “clothe taker”. Isto em inglês significa “tirador de roupas”, para quem não sabe. Perceber isso me tranquilizou um pouco, afinal achei engraçado esse nome ou apelido, sei lá. Mas meu alívio não durou muito. Bastou notar que .cov não era o tipo da imagem, pois se trata de uma .jpg, como vi em suas propriedades. Então o que seria .cov? Certamente o ponto está aí para separar de cov de taker. Cov não constava no dicionário online que costumo a usar, então só pode ser uma abreviação de algo, ou alguma sigla... Então logo minha mente fértil preencheu com um “a”, formando “cova”, e depois “coveiro”. Esse pensamento me assombrou até o último fio de cabelo. Tudo piorou quando eu juntei com o significado anterior: alguém que tira ou pega as roupas de outras pessoas, e quem sabe... pessoas mortas?

Naquela noite e em tantas outras eu não consegui dormir. Eu mostrei para os meus pais, perguntei se eles tinham tirado aquela foto, ou colocado ela ali de alguma forma, e ambos disseram que não. Eu expliquei brevemente minhas inquietações a respeito dela, mas eles não me deram importância. Não queria que eles me vissem como um medroso ou algo do tipo, principalmente meu pai. Mas a história não parou por aí. Ao longo dessa última semana eu mostrei pra todos os amigos que pude a foto, todos ficaram assustados, uns não acreditaram em mim. Mas o pior é que alguns deles, os quais eu mais converso pelo Skype e facebook, e que tem também suas webcams, ficaram também curiosos com o conteúdo das pastas de imagens que as webcams armazenam. Na verdade foi o Lucas que ficou curioso, os outros foram “obrigados” a checar depois que ouviram isso. Ele depois de tanto procurar a pasta a abriu, e eu não pude acreditar nele até que ele me passasse um printscream da pasta, mostrando o mesmo maldito ícone, a mesma maldita miniatura com o nome cl0th3t4k3r.cov.

Este meu amigo passou a ficar tão perturbado quanto eu. Contamos isso para mais 3 amigos. Com os 3 aconteceu a mesma coisa (esses foram os que eu disse que foram “obrigados” a checar a pasta). Por sorte os 3 se convenceram de que isso é algum truque que eu e o Lucas tramamos. O Lucas desenvolveu sua própria teoria sobre o .cov no nome. Disse que um nome em inglês e outro em português não faria nenhum sentido (na verdade nada faz sentido nisso tudo), então talvez cov abrevie “cover”, que pode significar cobrir ou mesmo disfarçar, fantasiar, camuflar, fingir, como alguém que finja ser o que não é. Eu não sei dizer qual das duas possibilidades me assusta mais durante a noite. Então eu decidi escrever esse texto e enviar em formato de e-mail para todos que possam se interessar sobre minha história, para que talvez alguém saiba me explicar o que aconteceu, como aconteceu, quem é nessa imagem, e principalmente, o que quer. Talvez isso tenha acontecido com mais alguém... Neste caso, segue abaixo a própria imagem. Se puderem me ajudar, ou ao menos dividir algo comigo sobre isso, entrem em contato, ou comentem nesse post.


Obrigado.