05/07/14

Creepypasta dos Fãs: A Morte

Depois de um dia cheio de estudos, eu, Thiago, de 13 anos, estava em casa e já eram 9 horas da noite. Eu estava fazendo o meu dever de casa, depois eu iria dormir e acordar às 6:30 da manhã para ir pro colégio.

Mas, de repente, eu ouvi uma figura negra pular a janela, subir as escadas e bater o pé na porta do quarto dos meus pais. Eu pulei da cadeira ao ouvir o estrondo vindo do andar de cima, seguido do grito da minha mãe e da luta do meu pai com o assassino. Então, eu fui para a cozinha, peguei um machado de cozinha e uma faca tramontina e fui com medo para o quarto dos meus pais. Quando eu cheguei lá, vi as costas de um homem com um capuz e veste pretas. A veste parecia mais um roupão. Em seguida vi que ele apontava uma foice para o pescoço do meu pai, e vi a minha mãe estirada no chão. Então decidi enfiar a faca nas costas dele, mas, a minha mão atravessou o corpo do homem, que imediatamente se virou. Ele apunhalou a foice no meu ombro e me jogou no chão, fazendo com que eu batesse a nuca no chão, e assim, perdendo a visão. A última coisa que eu me lembro depois disso, foi que eu senti algo penetrando e rasgando o meu peito violentamente, fazendo jorrar sangue em meu rosto. Depois disso, perdi a consciência.

Depois de um tempo, eu acordei em meio a uma poça de sangue. Eu me olhei no espelho... Eu tinha um corte profundo e extenso no meu peito, feito na diagonal, e tinha muito sangue no meu rosto. Mas eu tinha visto uma coisa que só via nos meus piores e mais obscuros pesadelos. Meus pais... Minha mãe deitada no chão, estripada, e o meu pai na cama, decapitado. Ambos tinham um corte no peito semelhante ao meu.

Um sentimento cresceu em mim, Parecia que tinha ficado no mundo, que não tinha mais ninguém nessa vida, agora tornada miserável. Parecia que o meu coração tinha parado, e uma estranha força me deixou de joelhos, e ao mesmo tempo eu estava chorando, até que eu ouvi uma voz bem rouca dizer em uma voz irônica:

- Pobrezinho! Eu acho que alguém ficou órfão! Oh, vem pro papai!

Depois que ele disse isso, algo mudou, tudo ficou totalmente diferente. As lágrimas sumiram, parecia que tinham evaporado, meu coração estava acelerado, minha respiração estava ofegante, minhas pupilas se dilataram, minha adrenalina estava no máximo, meus dentes rangiam tanto que podiam virar pedra, parecia que o meu sangue fora substituído por fogo, era uma coisa que eu nunca havia sentido. Era como se um demônio me possuísse, era como se toda cor do mundo era escura, e dor era uma palavra que eu desconhecia. A única coisa que sabia fazer naquele momento, era machucar e matar alguém, e esse alguém era aquele cara que tinha matado os meus pais. Eu percebi que enruguei toda a minha cara, em forma de uma expressão, então me levantei e fechei os pulsos, enquanto ele ria e sorria da minha cara.

Como que por impulso, gritei e vi o quanto eu era poderoso com aquele sentimento, então parti pra cima dele. Ele pegou a foice das costas, mas eu meio que escorreguei pelo chão para a direita e chutei o joelho dele por trás, de modo que ele gritasse e ficasse de joelho, de costas para mim. Então, peguei o braço esquerdo dele, e dei uma joelhada por trás do cotovelo dele, como se eu estivesse quebrando um galho na perna, após eu fazer isso, eu ouvi um grande estalo, e vi o osso da articulação dele sair da veste e jorrar sangue, fazendo uma pequena poça no chão. Ele endireitou o osso quebrado com o braço direito, gritando de dor. Eu aproveitei e vi algo através da veste dele, algo que se parecia com uma faca. A foice da figura preta estava caída no chão. Eu tirei a faca da peste ele, então ele se levantou e pegou um machado. Eu saí correndo e parei na frente da escada, e quando ele ia me golpear com o machado com sua mão direita, eu desviei do ataque e apunhalei a faca bem no tendão de aquiles, fazendo ele gritar, cair da escada e largar o machado. Enquanto ele rolava as escadas, eu peguei o machado dele, e desci para mata-lo. Antes que ele se levantasse, dei um chute bem na cara dele, que fez com que um pó branco saísse do seu capuz e caísse no chão. Eu levantei o capuz dele e fiquei assustado quando eu vi uma caveira com uma parte superior do crânio estava rachada, devido ao chute que eu dei, então eu perguntei:

- Quem é você?

- Eu sou a morte, e sua hora chegou!

Eu virei o machado para cima e abaixei na direção da cabeça dele. Ele deu um sorriso maligno antes de ter a sua cara partida ao meio. Então, eu vi a perícia, e eu gritei pra eles que eu estava vivo, mas ninguém me escutava, como se eu não existisse, então tudo ficou preto de novo, e desmaiei.

Depois de um ou dois meses, eu acordei de paletó, dentro de uma caixa de madeira embaixo da terra. Eu saí de lá e quase ninguém falava comigo, todo mundo me ignorava. As poucas pessoas que me viam ou saíam correndo assustadas ou simplesmente sorriam, sem fazer mais nada.

Eu só não entendo algumas coisas: por que ele invadiu logo minha casa? Por que Logo os meus pais? Por que eu estava dormindo numa caixa de madeira embaixo da terra, usando um paletó? Por que ninguém está me vendo? E por que que me chamam de médium?


Autor: Rafael Rezende

25 comentários:

  1. Thiago X Death
    3,2,1, Fight!

    K.O

    Thiago wins!

    Final Round!

    ResponderExcluir
  2. Alem de conter inúmeros erros de concordância e pontuação, nos termos da narrativa, falta o efeito surpresa e uma historia mais envolvente com uma ordem de fatos para não deixar o leitor confuso, também podemos salientar o uso já esperado da figura clássica da Morte.Tudo acontece muito rápido para o personagem,falta detalhamento dos ambientes e emoções,alem de não usar nem um pouco do efeito de mistério,tudo é despejado de uma vez só para o leitor. Ainda falta muito para essa historia ser chamada de um conto de terror, no máximo seria catalogada como um conto infantil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tobias Bertuletti x Rafael Rezende

      3,2,1 ... FIGHT!

      K.O

      Tobias Wins!

      FATALITY-HUMILHATION!!!!

      (Eu sei que estou copiando uma pessoa chamada: Terror Zone Brasil,mas e por graça mesmo,porque esse Tobias falou bem na cara que até doeu o coração)

      Excluir
  3. Conto ridiculo, alem da morte ser uma pedofila e pq ele tava batendo nela?
    E como é possível, OUVIR uma figura preta? Só se você consegue ouvir as cores -.-'

    ResponderExcluir
  4. "Fechei os pulsos" como assim? Não são punhos?
    Naw curti, tudo foi muito rápido, como o Tobias disse. Mas não o considero como ridículo, é um bom conto, só está no site errado, isso não é terror, com certeza não é terror.
    O pessoal acha que terminando um conto de terror com perguntas vai fazer o mesmo mais assustador, mas estão muito enganadas e3e. É chato acabar um texto com perguntas, perde a moral do texto '-'

    ResponderExcluir
  5. Foi tipo assim : eu tava la tranquilo , de boa , com meus 13 anos e... apareceu um preto , corri ,,fui pra porrada cai na cozinha matei a morte , babacbdgvax gef arregacei as manga , fechei o pulso , FIGHT , mega murro , choque do trovao , fim. '-' creepy rapida pra caralho

    ResponderExcluir
  6. Perdi a concentração quando li faca Tramontina... Tramontina matando a morte desde 1900 e bolinhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai eu ri uashuahsuahsuashuahsauhsuashau

      Excluir
    2. Na verdade a Tramontina vem zuando a morte desde 1200 e guarana com rolha

      Excluir
  7. Gostei bastante,mas como conto de ação,não de terror :c

    ResponderExcluir
  8. entao ouvi um barulho era um enderman craftando a porta pegei minha faca de diamante encantada no nivel 30 meu machado de diamante tambem nivel 30 e fui pra cima do enderman ele fez ENC e nao consegui mais ver onde ele estava eu me virei pra traz e ele tirou uma foice de diamante encantado no nivel 300 mas minha faca tinha knockback V entao enpurrei da escadaque nem sabia que existia ele caiu ee fez um barulho tipo AWAAAAA.... Ele dropou uma perola do fim e sem querer eu a usei entao morri 3 meses depois(nao sei como foi meses so tem noite e dia mesmo) em uma caixa de madeira craftei um buraco e pensei... eu devia ter usado abobora?

    ResponderExcluir
  9. parei de ler no "ouvi uma criatura preta"... masoq '-'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é que nem ouvir o som de algo flutuando

      Excluir
    2. Poisé, muito locona a menina dos cabelo preto. :v ela foi amaldiçoada, ela ouve quando algum objeto alheio flutua por acaso, isto influenciou muito o seguimento de sua vida. Sempre foi antissocial por seu interno diferencial, isso lhe machucava a alma, cada vez que ouvia um objeto flutuando, o que era no mínimo, 2 vezes por dia, sentia desprazer em viver tudo aquilo, surgia uma vontade de começar tudo de novo, sem a maldita maldição que arruinou sua vida.

      Excluir
  10. Respostas
    1. '0' Então vou dormir sempre com uma faca Tramontina sob o travesseiro, Nunca se sabe quando a morte vai me fazer uma visitinha :v

      Excluir
  11. "Eu tirei a faca da peste ele" q porra é essa velho .-.

    ResponderExcluir
  12. "Ouvi uma figura preta" Cara n sabia que dava para ouvir a cor da roupa da pessoa.
    "Fechei os pulsos" Você tinha se cortado?

    ResponderExcluir
  13. Machado de cozinha, maçarico de cozinha, chave inglesa de cozinha, faca Tramontina e um serrote de cozinha, estes são os equipamentos necessários para matar a morte. Como fazer: feche os pulsos e bata até sair um pozinho branco, então, jogue a figura que soa como preta de uma escada, enquanto ela estiver caída, pergunte sobre sua identidade e quebre-lhe o crânio.

    Atenção, efeitos colaterais incluem: Perda de consciência, despertar em um caixão submerso e ser ignorado como aquele garoto gordo da sua escola que sofre bullying.

    ResponderExcluir