02/07/14

Creepypasta dos Fãs: O Estranho Palhaço do MC Donalds

Olá... Primeiramente gostaria de me apresentar. Me chamo Caio, tenho 19 anos, e a história que contarei hoje, aconteceu comigo, na minha infância, e é algo que me atormenta até hoje...

Era meu aniversário de 10 anos, e naquele dia, meus pais me disseram que me levariam ao Mc Donalds, e logo em seguida chamaríamos nossos familiares para uma festinha de criança que faríamos em casa, onde meus primos e tios viriam.

Já dentro do carro naquela manhã, estava eu sentado no fundo do carro, meu pai dirigindo e minha mãe conversando com ele, ambos pareciam muito felizes, e diziam toda hora faziam brincadeiras do tipo: "Ei filho, logo logo estará dirigindo igual o papai, ei filhão já esta na hora de trazer a namorada, esta grandinho..." Coisas de pais corujas que sempre foram. Me amavam muito, e por eu ser filho único, ganhava toda a atenção. Eu vivia tirando foto com eles, saindo com meu pai, vez ou outra eles brigavam, mas quando faziam as pazes era maravilhoso, porque eu sentia que eles eram minha fortaleza, e me sentia bem e protegido ao lado deles.

Quando então avistei ao longe o poste com o símbolo do Mc Donalds, aquele M enorme já me dava fome só de imaginar, mas como toda criança, eu estava interessado principalmente no brinde que vinha dentro da caixinha do lanche, me lembro como se fosse hoje, eram brinquedos dos personagens do filme Toy Story.

Meu pai demorou pra achar uma vaga, o estacionamento parecia estar lotado, vi perto da entrada muitas crianças saindo e entrando com seus pais, muitas com os bonecos do Buzz Lightyear ou do Cabeça de Batata, enfim, aquilo aguçava ainda mais minha fome e a vontade de ganhar um brinde daquele.

Então meu pai estacionou em uma vaga, descemos, sai correndo fazendo aviãozinho com os braços, fazendo graça para meus pais, então minha mãe segurou em minha mão e disse:

-Espera filho, tem muita gente aqui, não solta da minha mão se não vai se perder.

Logo olhei para trás e vi meu pai, ele estava terminando de pegar a carteira de dentro do carro, e vinha logo atras, quando então um responsável do estacionamento o chamou a atenção.

-Desculpe senhor, mas estacionou na vaga de deficientes, exijo por gentileza que troque por outra vaga que temos já livre, me siga que indicarei o local.

Meu pai olhou envergonhado pra gente e disse:

-Vão na frente, escolham a mesa e façam o pedido que já estou indo.

Fomos e entramos no Mc Donalds, notei então que havia muitas mesas naquele lugar, era maior que os outros Mc's que eu já tinha ido, e também havia muita gente, notei que o Play Ground estava lotado com uma garotada da minha idade, era um Play Ground até grande, tinha um Tobogã não muito alto, escorregadores, balanços, cavalinhos, tudo com o tema do Mc Donalds, e o rosto do palhaço Mc Donalds por todo o lado. A fila do caixa estava grande, então disse para minha mãe:

-Posso ir no parquinho? Deixa mãe... Deixa... Essa fila vai demorar de mais...

-Tudo bem filho, ficarei na fila de olho em você, não quero que vá para os brinquedos do fundo do parquinho, só os da frente tudo bem?

-Eba! Pode deixar...!

Corri para o parquinho, e fiquei no cavalinho perto da cerca que separa o parque do restaurante, havia muitas crianças como eu brincando no local, quando então avistei ao fundo do parquinho uma porta aberta, e uma figura estranha, um palhaço, mas não parecia em nada com o Ronald Mc Donald, ou qualquer um dos personagens da lanchonete, ele me olhava com um sorriso hipnotizante, e seus olhos havia algo bizarro que na época não sabia bem definir, mas hoje defino como olhar psicótico.

Ele não parava de me olhar um só segundo, as moças que estavam tomando conta das crianças dentro do parquinho, pareciam não notar aquela figura bizarra atras da porta ao fundo do parque, que me encarava com aqueles olhos vidrados, e sorriso grotesco, uma felicidade sádica. Parei então de balançar no cavalinho, e sentir meu coração acelerar, um medo tomava conta do meu corpo, e senti minha respiração falhar. Ele era bizarro, tinha uma roupa folgada e amarela, possuíam uma caixa na cabeça, como se fosse um chapéu, e dentro da caixa pude notar um copo de refrigerante, e um Big Mac, que pareciam feitos de borracha, seu rosto havia uma maquiagem mal feita e borrada, seu nariz era tapado por um copo de plástico, seus dentes eram maiores que o normal e pareciam sujos de sangue, quando então tudo ao meu redor ficou lento, muito lento, então... Tudo parou.

A coisa veio na minha direção, saindo de trás da porta muito rápido, vinha balançando o corpo igual um débil alucinado, respirava igual um psicopata e gemia uma gargalhada contida e seus olhos vidrados em mim, seu andar era muito torto, seu corpo pendia pros lados, mas era extremamente ágil, o pátio do Play Ground era ligeiramente grande, vi ele passando pelos brinquedos, muito rápido em minha direção, minhas mãos não desgrudavam do cavalinho, eu queria gritar, mas ninguém se mexia, parecia que eu estava em outra dimensão, as pessoas começaram a cair ao chão se contorcendo em espasmos enquanto seus corpos explodiam de forma brutal, elas gritavam e sua carne se contorcia pelo chão, eu tentava me mexer, gritar, meu coração acelerava ainda mais, e o palhaço demoníaco chegava mais perto, comecei a ouvir gritos, do chão brotavam cabeças que pareciam que estavam em espasmos e cuspindo sangue, o palhaço com seu andar torto e perfil demoníaco chegou perto de mim, e parou, aquele cenário decadente e terrível ao meu redor, e aquele palhaço horrendo a minha frente. Respirei fundo e o encarei nos olhos, sentia meu coração bater muito rápido, meu corpo inteiro suava, da minha boca um grito desesperado pedindo ajuda pela minha mãe, mas nada saia, então ele se curvou e ficou cara a cara comigo, e com uma voz débil e extremamente alta disse:

-Hora de briiiiiiinnncaaaaaar...!

Então ele abriu sua boca com dentes gigantes e veio de encontro com minha cabeça, antes de abocanhar minha cabeça vi os corpos das crianças em espasmos e gritando no chão se debatendo violentamente, então vi sua boca enorme engolindo minha cabeça. Então gritei...

Quando acordei, estava deitado no parquinho, um médico estava em cima de mim, tentando me reanimar, minha mãe chorando agarrada ao meu pai. Quando me viram acordado, correram em minha direção, minha mãe me abraçou, chorando, eu chorava muito, soluçava, tentava entender o que tinha acontecido, mas tudo o que me diziam era que eu havia caído do cavalinho e batido a cabeça. Olhei ao meu redor e não vi nada de estranho, a não ser aquela multidão de adultos e crianças me olhando, os pais das crianças ficaram aliviados ao verem que eu estava bem, aos poucos o Mc Donalds foi voltando ao normal, cada família em suas mesas, o gerente da lanchonete chegou até nós, despachando o médico e falando conosco.

-Bom, me desculpem pelo o que aconteceu, vou me livrar desse brinquedo o quanto antes, me perdoem, me sinto péssimo de ver que seu filho de machucou e ficou inconsciente.

-Está tudo bem - Disse meu pai - É o peso da idade, né filhão?

Meus pais deram uma risada aliviada, o gerente riu também.

-Bom acho que é melhor irmos para casa né Caio? Seu pai comprara os lanches e comeremos lá. - Disse minha mãe.

Segurei no braço dela esperando do lado de fora, eu estava assustado e desconfiado de tudo, não sabia ao certo o que aconteceu, mas sabia que não era delírio por causa de uma queda do cavalinho, aquilo era real de mais, aquele palhaço, quem ele era? Nunca o vi nos comerciais do Mc Donalds nem nada relacionado a o Fast-Food. Segurava cada vez mais forte o braço da minha mãe, tão forte que machuquei ela.

-Calma filho, o que foi? Ta se sentindo mal?

-Não mãe, só quero ir em bora...

-Você ta bem mesmo filho? Você caiu do cavalinho e ficou inconsciente, eu chorei de medo, preocupada com você...

Ela me abraçou, por um momento fiquei mais calmo, acreditando que aquele palhaço era fruto da minha imaginação por causa da queda. Meu pai chegou com as caixas de lanches, e entramos no carro, ele olhou para o relógio e disse:

-Será que já chegou alguém para a festa la em casa? Ei filhão, você ta bem mesmo? Ta pronto ainda pra sua noitada de 10 anos?

-Noitada? Nosso filho tem 10 anos, Caio você não tem idade pra "noitadas", e nunca terá, pelo menos pra mim.

-Hora para de coisa, logo logo o Caio vai estar pegando esse carro e andando com o carro e impressionando as garotas.

Eu ria da discussão boba dos dois pra me fazer se sentir melhor, meu pai distribuiu as caixas de lanche, e começaram a comer, então abri a minha, e me arrepiei com o que havia dentro dela...

Continua...

Autor: JCreepyz

46 comentários:

  1. Vou ignorar a falta de concordância no ínicio pq o clima tava muito kawaii.
    Vão postar todas as partes?

    ResponderExcluir
  2. kawaii! Palhaço baka, no faça isso com o niisan! Os senpais ficaram preocupados desu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que quer dizer "senpais"? É uma pessoa sem pai/pais? .-.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Li a frase toda ouvindo aquela voz frescurável dos animes involuntariamente. e.e''

      Excluir
    4. N-não é como se eu estivesse pensando em animes desu...

      Excluir
  3. Mc donalds começa com M que tem dois triangulos.
    Triangulo = olho que tudo vê
    Dois triangulos = dois olho que tudo vê
    Coencidencia? Acho que naw

    ResponderExcluir
  4. Esse palhaço é deboas perto do palhaço da rede de fast-food q tem em parelheiros, essa é horrivel se chama "Mc Douglas", o lanche é mt pior o BigMcDouglas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh o palhaço da outra creepy? Eh o palhaço do filme it? E o palhaço que esta de baixo da minha cama com uma faca na mão?

      Excluir
  5. Leia com bastante coragem ! Se não tiver, melhor não prosseguir !No ultimo dia de cada mês, vc ouvirá barulhos, como se estivessem batendo em sua janela, o mais importante de tudo NÃO ABRA OS OLHOS ! Asbatidas ficaram cada vez mais fortes, mas fique calmo sua janela não vai quebrar, logo após os barulhos de batidas, vai ser como se estivesse atacando pedrinhas em sua janela. Não é nenhum amigo, os barulhos ficaram mais fortes, até começarem no seu espelho, não tema, só NÃO ABRA OS OLHOS, muito cuidado, não se levante, não fale, não se mova, senão ele vem pegar vc ! Ele não fala, só apenas vai ficar te atormentando até o sol raiar, se vc abrir os olhos, bem ninguém sabe o que pode acontecer, o último, sumiu...

    Eu sei, tá mó bosta. :v

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;-; tacaram uma pedra na minha janela

      Excluir
    2. " As batidas ficaram mais fottes " FicarÃO, pfvr né Jeffinho e-e

      Excluir
    3. Eu não tinha visto. ;-; Valeu primo. :v s2

      Excluir
  6. Aquele momento

    -omg sera q vai postar as outras partes?
    *.*

    ResponderExcluir
  7. Jeff Woods Senpai é basicamente um professor ou mestre uma pessoa que tem autoridade, resumindo senpai no japão é a mesma coisa que senhor aqui só que falando de uma forma mais carinhosa tipo chamar a sua mãe de senhora (embora todo mundo chame de mãe mesmo) bom é isso aí pelo que eu ouvi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, em um sentido mais literal, senpai é alguém mais experiente que você em alguma coisa :3 Eles utilizam muito isso para se referir a pessoas que estão em uma classe acima na escola, por exemplo.

      Excluir
  8. Go go parte 2. Não sei se é porque palhaços me dão medo em qualquer circunstâncias mas eu adorei, pude imaginar quase que perfeitamente pelo jeito que ele mostrou os detalhes.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Parte 2- tinha um rato na minha coca e uma barata no meu sanduíche, meus pais voltaram no mc donalds e processaram eles por danos morais, depois disso nós ficamos milionários no ramo da pornografia pois compramos a brazzers network e agora eu tenho uma namorada chamada Susete. FIM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh o palhaço? Sera que o palhaço era a susete o tempo todo ou era xuxa de maquiagem(super satanico)

      Excluir
  11. Legal...me lembrou um pouco Penpal por ser uma história de infância q vai progredindo até a fase adulta, quero ver se a parte 2 vai ser legal tbm

    ResponderExcluir
  12. Ate que n foi de toda ruim mas os corpos explodindo e tal foi meio exagerado

    ResponderExcluir
  13. Eu queria sabe, como um muleque de 10 anos cai do cavalinho? Eu avho que essa batida na cabeça só piorou o estado mental desse cara.

    ResponderExcluir
  14. Um palhaço pedófilo,um garoto drogado uma mãe ausente e funcionárias lerdas e preguiçosas não vejo nada de mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pai bebado e a comida estragada com insetos e animais dentro..algo assim

      Excluir
  15. Acho que nem precisa de segunda parte pra saber oquê tem na caixa e oquê acontece depois. Vai lá minha aposta:
    "... e me arrepiei com oquê havia dentro dela: uma escultura do palhaço que eu vi no 'sonho'. Claro, naquele momento eu achei que era apenas um erro ou uma coincidência, mas acabei descobrindo que não era isso... Não apenas uma mera coincidência... Após 5 segundos observando aquele boneco, no carro, eu vi uma sombra do quê parecia um palhaço do outro lado da rua. Gritei para meu pai acelerar, e foi oquê ele fez. Enquanto o carro corria, eu olhei pelo vidro traseiro do carro: O palhaço estava no meio da rua, me observando com aqueles olhos lunáticos, apenas esperando a hora de brincar."

    Isso é oquê eu imagino pra esse texto '-' sei lá, eahueahuea, ficou bão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha versão e assim:
      "Quando abri vi o CD da xuxa,uma foto da gretchen e uma caneta do esquenta(aql programa de merda da regina case)
      Depois disso peguei uma arma calibre .50 e dei um tiro bem no meio da testa"

      :3 tipo assim

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, boa Lik :v

      Excluir
  16. Meio exagera, mas muito boa! Quero logo o próximo capitulo, muito bem escrita! 9/10
    Contato: 022998867293

    ResponderExcluir
  17. Amei o palhaço era simplesmente o ronald Mcdonald 1

    ResponderExcluir
  18. Essa ta top, qdo vão postar a continuação??

    ResponderExcluir
  19. Estou esperando a parte dois, embora esse em bora tenha machucado.

    ResponderExcluir
  20. Caramba, realmente, quando eu era pequena eu tinha pesadelos a respeito desse Ronald Mc Donald.
    Quase todas as noites, meu objetivo era fugir e encontrar minha mae... Mas nem sempre eu conseguia escapar.

    Por isso, eu tenho pavor de palhaços ate hoje, aos meus 14 anos e_e

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha medo do rato de um comercial de jornal não lembro qual era o jornal mas tinha uns pesadelos muito loucos com ele

      Excluir
  21. Esperando parte 2...até agora nada Ronald... QUE MERDA É ESSA ?

    ResponderExcluir
  22. What?? Tinha alguém vendendo maconha nesse play, certeza

    ResponderExcluir
  23. Havia um "continua..." em itálico dentro dela?

    ResponderExcluir
  24. cade a parte 2??????????!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir